Por 51 dias, Poliana Vicente travou uma grande batalha contra a Covid-19 no Hospital São José de Criciúma. Foram 41 dias na UTI, em coma, e uma história que ficou conhecida em toda a região pela fé, coragem e pela dedicação de todos para a recuperação da paciente.

Além da certeza que tudo daria certo, Poliana teve o apoio incondicional de profissionais que não desistem enquanto há vida, e, entre eles, estão os profissionais da enfermagem.

“Eu era muito mimada pela equipe. O mais engraçado é que em momento algum eu tive medo, e olha que sou medrosa com essas questões, mas desde quando dei entrada na portaria do hospital já fui acolhida com muito carinho, e isso me passou segurança. Quando eu soube que iria para a UTI fiquei com um certo temor, afinal, para mim era algo desconhecido, mas enquanto me arrumavam para ser levada elas me fizeram perder o medo, me descontraíram, e única coisa que pedi foi para não desistirem de mim e não me deixarem morrer por conta dos meus filhos. O cuidado e a atenção que me davam era algo espetacular, parecia que eu era alguém muito próxima de todos eles”, comenta Poliana.

De acordo com ela, tudo o que vivenciou foi além o que esperava do hospital e dos profissionais de saúde. Como forma de agradecimento, Poliana retornou esta semana ao HSJosé, desta vez como visitante, para homenagear os profissionais durante a Semana da Enfermagem.

“Retornar como ‘visitante’ foi algo muito gratificante. Eu fiquei muito feliz pelo convite, de uma certa forma foi uma maneira de agradecimento, claro que não chega nem a um terço do que fizeram por mim, mas fui com muito amor em forma de gratidão. Eu rotulo cada profissional como ‘anjo’, são seres iluminados que te tratam com tanto amor que por mais que você esteja sofrendo, eles te deixam muito à vontade e seguro”, comenta.

“Vou levar cada um deles em meu coração em minhas orações, ganhei mais uma família, através da minha dor, Deus me fez conhecer outro amor, ou melhor, outros amores. Todos estão fazendo um trabalho incrível e, com certeza, Deus irá honrar cada um deles, sem exceção de ninguém, são seres humanos, de fato humanos”, complementa.

Carinho para cada paciente

Todo esse esforço pela vida e pela melhora de cada paciente é vivenciado por todos os colaboradores e médicos do HSJosé. Entre aqueles que estão na linha de frente no combate de todas as doenças, estão os 110 enfermeiros e 500 técnicos de enfermagem que atuam na instituição.

Uma equipe que trabalha com coragem para vencer todos os desafios e lutar 24 horas por dia para salvar vidas.

“Ser enfermeiro hoje é um tanto desafiador, saber lidar com a morte constante com as tristezas, as doenças e principalmente a Covid-19, nos faz um tanto amedrontados. Estar à frente de uma grande equipe como a nossa é algo de grande responsabilidade no dia a dia. Ser enfermeira é saber lidar com os caminhos da vida, entender que nem tudo está apenas no tratamento e na ciência e sim esperar e confiar em um Deus maravilhoso que nos inspira e dá forças para seguirmos”, explica a gerente de enfermagem do HSJosé, Thamilis Peruchi Csunderlick.

De acordo com a especialista, a importância da enfermagem no trabalho com os pacientes é primordial.

“Somos aqueles que estão muitas vezes ocultos no tratamento, mas que dão um carinho, uma ajuda, um banho que alivia o cansaço da internação, uma medicação que alivia a dor constante dos pacientes. Somos primordiais para os pacientes no dia a dia, para sua recuperação. No entanto, vivemos também o sentimento da impotência por não conseguirmos fazer mais pelos pacientes, tentamos o máximo a luta pela vida deles, pelo cuidado integral, mas muitas vezes tudo isso não é o suficiente”, garante a enfermeira.

Olhar diferenciado aos profissionais da enfermagem

Com a pandemia da Covid-19, o mundo passou a olhar de uma outra forma os profissionais da saúde.

“Talvez hoje a população consiga ver a importância de ter enfermeiros ou técnicos de enfermagem para auxiliar a vida de cada um. Antes talvez não éramos tão vistos, hoje, com mais pessoas doentes, estamos mais em foco”, garante Thamilis.

A mesma ideia é compartilhada pelo enfermeiro do HSJosé, Bruno Nogueira Camilo, que atua na instituição desde dezembro de 2020.

“Com a pandemia, a sociedade passou a reconhecer melhor nossa classe, e entender como funciona e atua o setor da enfermagem. Ser enfermeiro requer uma carga de responsabilidade imensa, pois atuamos nos mais variados âmbitos da vida de um paciente. Toda essa responsabilidade é recompensada por cada melhora que eles apresentam, assim como as demonstrações de gratidão que atribuídas a nós”, reforça o especialista.

No HSJosé, a expectativa de Bruno é de vivenciar as mais diversas experiências e trabalhar pela vida do próximo.

“Espero vivenciar as mais diversas experiências que a área hospitalar pode proporcionar, assim como posso dizer que o Hospital São José acolhe e estimula os enfermeiros da melhor maneira possível, trazendo reconhecimento e confiança aos profissionais desta instituição”, aponta.

Ações especiais para celebrar o Dia da Enfermagem

Ao longo desta semana, diversas atividades estão sendo realizadas no HSJosé para celebrar o Dia da Enfermagem. Além do mural de recados e do painel para fotos, entrega de brindes, apresentações musicais surpresas e a celebração de missas, serão realizadas também um Treinamento de Segurança do Paciente, com a enfermeira Priscila Alves; palestra on-line com o tema “Liderança de Enfermagem para a Segurança do Paciente”, com Alexia Mandolesi (diretora técnico-científica do IBES e do IBES Knowledge in Healthcare); palestra online com o tema “Excelência no atendimento: a experiência do paciente”, com Fabrizio Rosso (sócio diretor executivo da Fator RH).

A Semana da Enfermagem no HSJosé encerra na sexta-feira, dia 14, às 20h, com uma reflexão com Irmã Cristiane Michels com o tema “Enfermagem na vida das pessoas com momento de meditação”.