A província de Zhejiang, um importante centro econômico na China, registrou nos últimos dias um surto de Covid-19 que levou as autoridades, nesta terça-feira (14), a confinar meio milhão de pessoas e a fechar fábricas em vários distritos industriais. As informações são da AFP e da Reuters.

Zhejiang, um polo industrial e exportador do leste chinês, reportou 44 dos 51 casos de Covid-19 por contágio direto detectados nesta terça no país, o que elevou as infecções na província a 217 desde a semana passada.

Apesar de o número ser minúsculo em comparação com outros países de grande população, as autoridades de Zhejiang realizaram testes em larga escala e ordenaram fechamentos para enfrentar o surto, num momento em que Pequim se prepara para receber os Jogos Olímpicos de Inverno, em fevereiro.

As autoridades locais divulgaram que mais de 540 mil pessoas foram confinadas.

Em paralelo, a imprensa chinesa informou que, nesta segunda-feira, a China detectou o primeiro caso da variante ômicron do novo coronavírus na cidade de Tianjin, no norte.

Autoridades de saúde disseram que o surto na província de Zhejiang estava evoluindo de forma muito rápida em três cidades: Ningbo, Shaoxing e Hangzhou.

Nos últimos dias, alguns distritos de Ningbo, o principal porto de Zhejiang, e a cidade vizinha de Shaoxing já haviam comunicado que suspenderiam algumas operações comerciais.

Em Zhenhai, um distrito de Ningbo com uma grande base petroquímica, todas as empresas consideradas não essenciais tiveram de fechar, e os produtores petroquímicos terão de reduzir a produção.

Várias empresas da capital provincial, Hangzhou, também anunciaram a suspensão da produção. Centenas de voos de Hangzhou foram cancelados nesta terça.

Zhejiang é uma das províncias de PIB mais elevado da China e uma grande exportadora. Ningbo, Shaoxing e Hangzhou respondem por cerca de metade do PIB anual de 1 trilhão de dólares. Especialistas disseram que a o fechamento de fábricas terá impacto na cadeia produtiva de vários setores, como o têxtil.