O Centro de Reabilitação Pós-Covid de Urussanga completa 8 meses de atendimento. No início de agosto de 2020, eram realizados atendimentos em domicílio e, a partir de janeiro deste ano, iniciaram as atividades no Centro de Reabilitação Pós-Covid, localizado no bairro Estação, anexo ao Centro de Triagem Covid-19.

O Centro de Reabilitação, criado para reduzir e tratar os impactos da doença, já registrou 240 atendimentos, após o início das atividades neste ano. Se computarmos esses 8 meses de atuação, somados os atendimentos domiciliares e presenciais, foram mais 1.300 atendimentos.

O Centro conta com uma equipe multiprofissional e realiza atendimentos em pessoas com sequelas respiratórias, motoras ou emocionais em função da Covid-19.

A infecção percebida pelo corpo humano acometido pelo novo coronavírus (sars-cov-2) pode se apresentar em diversos graus: leve, moderado e grave.

Por isso, os pacientes que vencem a batalha contra a Covid-19, principalmente os que alcançaram o grau mais grave da doença, podem apresentar alterações pulmonares, cardíacas e musculoesqueléticas, além dos efeitos psicológicos.

Assim, após a fase ativa da doença e alta hospitalar, alguns sintomas podem persistir, dentre eles, cansaço, falta de ar e fraqueza muscular

Recuperação

A senhora Lurdes Manarin Meneghel, 70 anos, moradora da localidade Rio Comprudente, foi infectada pela Covid-19 em dezembro do ano passado. Ficou internada por 10 dias, três deles na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital de São José, em Criciúma. No início do mês de fevereiro, iniciou a reabilitação que durou oito semanas.

"Foram dias difíceis que passei. Graças aos médicos e enfermeiros, pude restabelecer minha saúde. Quero agradecer a todos pelo atendimento. As variedades de exercícios nas sessões de reabilitação me fez ter mais forças nas atividades de dona casa", comemora.

Nesta semana, ela ganhou alta e recebeu das mãos da educadora física, Cassiele de Bettio Nesi, e da fisioterapeuta, Priscila Salvador, o Certificado de Alta de Reabilitação Pós Covid-19, após dois meses reabilitação cardiopulmonar.