Um torcedor do Boca Juniors foi detido em flagrante na noite de terça-feira (26), em São Paulo, por imitar um macaco em manifestação direcionada à torcida do Corinthians, durante a partida entre o clube argentino e o brasileiro, na Neo Química Arena, pela terceira rodada da fase de grupos da Libertadores.

Mas Leonardo Ponzo foi liberado nesta quarta-feira (27) após pagamento de fiança. Segundo o comunicado da Secretaria de Segurança Pública, o torcedor do Boca foi denunciado por três brasileiros aos policiais militares no estádio e flagrado pelas câmeras de segurança interna.

O homem foi localizado na torcida argentina, situada no setor sul da arena, e levado à Delegacia de Polícia de Repressão aos Delitos de Intolerância Esportiva (Drade), "onde foi lavrado o presente auto de prisão em flagrante delito".

O crime de injúria racial é previsto no artigo 140 do Código Penal. O parágrafo terceiro indica uma pena de reclusão de um a três anos, além do pagamento de multa.

Em nota, o Corinthians declarou repúdio a "todo e qualquer ato de racismo e discriminação" e afirmou que o caso "só reforça a importância de nossa luta por um futebol sem ódio".

Pela rede social Twitter, o Boca expressou "absoluto repúdio" aos gestos "racistas e xenófobos" do torcedor e que os dirigentes avaliarão medidas e sanções a serem implementadas e aplicadas.

Em campo, o Corinthians derrotou o Boca por 2 a 0, com gols do volante Maycon. O resultado levou o Timão à liderança do Grupo E da competição sul-americana.

Vale lembrar que, no mês passado, no estádio Monumental de Nuñez, em Buenos Aires, um torcedor do anfitrião River Plate jogou uma banana na torcida do Fortaleza, durante o jogo entre as equipes, também pela Libertadores. A equipe argentina identificou o homem como sócio do clube e o suspendeu.

*Com informações de Agência Brasil