Muitos candidatos a participar da 32ª edição dos Jogos Olímpicos, que acontecem entre os dias 23 de julho e 8 de agosto, no Japão, sofrem com a falta de apoio para alcançar o maior sonho da carreira de qualquer atleta.

É o caso de Abel Curtinove, atleta da Associação Atletismo de Blumenau (AABlu) e técnico de base da modalidade em Jaraguá do Sul.

Atual campeão brasileiro, recordista estadual e com vasto currículo de conquistas no salto com vara, o gaúcho de Osório ainda busca índice e pontuação para chegar à Tóquio.

Mas o objetivo passa muito pela necessidade de aquisição de um jogo de varas importado, que pode chegar a R$ 60 mil e o ajudariam a fazer saltos mais altos, aumentando as chances de classificação.

Abel comemorando o título brasileiro do ano passado | Foto: Wagner Carmo/CBAt

O atleta de 29 anos pediu ajuda para a Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) e para o Comitê Olímpico.

Porém, as entidades deram uma resposta negativa, alegando falta de recursos e afirmando que o apoio prestado através do Programa de Preparação Olímpica é exclusivo para os atletas que já têm o índice para as Olimpíadas.

Com isso, Abel resolveu apostar em uma vaquinha online, onde fala um pouco de sua carreira e o sonho de disputar os Jogos de Tóquio, além do pedido de ajuda para compra dos materiais.

A doação pode ser em qualquer valor, pelo site Abacashi (clique aqui).

Currículo no atletismo

Abel Curtinove começou sua trajetória no salto com vara, aos 17 anos, na Sogipa, em Porto Alegre (RS). Dois anos depois, ele já estava estabelecendo o recorde gaúcho Sub-23, com a marca de 5,02m.

Em 2015, ele se formou em Educação Física e bateu o recorde gaúcho absoluto no mesmo ano, com 5,23m.

Depois, mudou-se para São Paulo para treinar no tradicional Esporte Club Pinheiros, onde permaneceu até o fim de 2017.

Ao deixar a capital paulista, acertou com a AABLU, de Blumenau, equipe que representa atualmente, e se sagrou campeão e recordista estadual, com a marca de 5,42m.

Além disso, ele concilia a vida de atleta com a de treinador, já que desde 2018, atende mais de 100 crianças e adolescentes da base do atletismo de Jaraguá do Sul.