Uma das mais recentes promessas lapidadas pelo voleibol de Jaraguá do Sul fez as malas e deixou sua terra natal.

Grande destaque da equipe feminina de base da cidade, Maria Luiza Bechtel Elói deu um grande salto na busca pelo sonho de virar jogadora profissional ao acertar com o Sesi Vôlei Bauru (SP).

As conversas com o tradicional clube da modalidade no país iniciaram em dezembro de 2019, ano em que a atleta de 17 anos explodiu como a principal revelação das quadras nos últimos anos.

Foto Lucas Pavin/Avante! Esportes

Campeã dos Jogos Escolares da Juventude e Joguinhos Abertos de Santa Catarina, Malu, como é carinhosamente chamada por amigos e familiares, recebeu o prêmio Brasil Olímpico, dado a melhor jogadora da competição nacional, e o troféu destaque da Federação Catarinense de Voleibol após o título estadual.

O talento e a liderança para as demais companheiras chamaram a atenção dos observadores técnicos da equipe paulista, que manifestaram o interesse de contar com a jaraguaense, que até chegou a receber propostas de outros clubes de São Paulo.

Porém, optou pelo Sesi pela influência do time de Bauru no Brasil, onde disputa a Superliga e despeja grande investimento nas categorias de base.

Apresentada nesta semana, a oposta inicia o novo desafio nos elencos Sub-19 e Sub-21, que disputará o Campeonato Paulista, Taça Paraná e Jogos Abertos de São Paulo.

Foto Lucas Pavin/Avante! Esportes

Se o desempenho for acima da média, ela pode ganhar uma chance no grupo profissional, o mesmo que veio à Jaraguá do Sul para a Copa Brasil e conta com grandes nomes, como a levantadora e campeã olímpica Dani Lins.

“É muito difícil deixar a família e amigos, porque é uma grande mudança. Mas sair de Jaraguá para jogar em um clube maior de vôlei foi o que eu sempre almejei”, disse Malu, que ainda revelou seus principais sonhos na carreira. “Um dia quero jogar a Superliga e vestir a camisa da seleção brasileira”, afirmou.

História no vôlei

Com a forte ligação do pai e o irmão mais velho pelo esporte, Maria Luiza sempre contou com incentivo suficiente dentro da casa para seguir um caminho nas quadras.

O primeiro contato com o vôlei veio aos 7 anos de idade, na Escola Albano Kanzler, um dos polos do projeto Evoluir.

A alta estatura e força de ataque para uma menina de sua idade impressionaram os treinadores da cidade, que a integraram na equipe Iniciante, comandada pela professora Tati Altini.

Foto Lucas Pavin/Avante! Esportes

A partir daí, a migração se tornou natural para as categorias Pré-Mirim, Mirim, Infantil e Infanto - estas últimas sob o comando da técnica Karina Patrícia de Souza, até se tornar uma das grandes revelações do voleibol jaraguaense.

“Sempre tive muita dificuldade na parte de agilidade, com defesa e passe. É o que mais preciso melhorar. Mas evoluí muito na questão de bloqueio e ataque, que é a minha principal qualidade, e isso devo muito a base feita em Jaraguá do Sul”, destacou.

Orgulho para técnica

Entre familiares e amigos, um técnico diretamente envolvido na evolução de Malu como atleta, se orgulha pelo rumo tomado na carreira da jogadora.

Técnica da oposta por três anos na base de Jaraguá do Sul, Karina Patrícia de Souza ressaltou a qualidade e projeta um grande futuro da sua pupila no esporte.

“Torcemos e almejamos que ela (Maria Luiza) chegue na Superliga pela equipe principal (do Sesi), visando uma seleção brasileira de base e adulta mais futuramente. Mas sabemos que ela terá que passar por etapas e vemos isso como uma evolução. Qualidade ela tem para chegar longe”, declarou a treinadora.

Maria Luiza, ao lado das técnicas Karina (E) e Tati Altini (D) | Foto Lucas Pavin/Avante! Esportes

E mesmo em uma das principais equipes do voleibol brasileiro, Maria Luiza não esquece suas raízes. Segundo ela, os trabalhos de iniciação e desenvolvimento vividos em sua terra natal foram fundamentais para se tornar uma grande atleta.

“Não tenho palavras para descrever o quanto estou feliz. Sou muito grata por tudo que passei em Jaraguá. Muito do que eu consegui devo a Karina e a Tati. Tiveram momentos que quis parar de jogar por estar cansada e achar que não tinha capacidade, mas elas acreditaram em mim e hoje estou chegando em um grande clube”, finalizou.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram

Facebook Messenger