Um dos favoritos ao pódio do arremesso de peso nas Olimpíadas de Tóquio, Darlan Romani se classificou à final da categoria nesta terça-feira (3).

O catarinense de Concórdia venceu sua bateria ao chegar à marca de 21m31 e vai buscar uma medalha nesta quarta-feira (4), às 23h05.

Depois da prova, o atleta concedeu entrevista à TV Globo, e, muito emocionado, falou dos problemas que sua família enfrentou por conta da Covid-19, além de se declarar à esposa que faz aniversário nesta terça e o foco na busca pelo pódio.

“Emocionante ver a bandeira do Brasil subindo para o terceiro lugar (bronze de Alison). Isso nos dá mais forças para continuarmos lutando. Minha esposa em especial, sei que é aniversário dela em casa, ela deve estar se acabando de chorar, ela sabe tudo que passamos esse ano... É difícil falar. Foi um susto para nós, meu irmão, mãe e eu ficamos com Covid. Mas é isso, a gente ergue a cabeça, batalha e corre atrás. Hoje é mais um passo que demos para uma final olímpica. Estou dando meus 200% lá dentro. No primeiro arremesso vacilei um pouco, poderia ter passado já, veio no segundo, mas é isso, vamos continuar focados. Torçam, mandam energias positiva, porque vamos atrás desse sonho”, disse.

O segundo a se classificar e avançar junto com o brasileiro foi Mostafa Amr Hassan, do Egito, que fez 21m23. Após a classificação dos dois, Tomas Walsh, da Nova Zelândia, fez o melhor arremesso da bateria e se classificou em primeiro com 21m49.