O Manchester City liderou o ranking de clubes mais ricos do mundo pela primeira vez após se tornar o time de futebol que obteve a maior receita na temporada 2020/21. O relatório foi apresentado pelo Football Money League, da consultoria Deloitte.

O Barcelona, que era o líder anterior, caiu para quarto lugar na 25ª edição da tabela - a posição mais baixa do clube espanhol desde 2013/14.

O City, de propriedade de Abu Dhabi e com vários patrocinadores ligados aos proprietários, teve receita de 644,9 milhões de euros (o equivalente a R$ 3,5 bilhões), subindo seis posições.

Os atuais campeões e líderes da Premier League inglesa são apenas o quarto clube diferente a liderar a lista da Deloitte, depois de Barcelona, Real Madrid e Manchester United.

O Real Madrid (640,7 milhões de euros) ficou em segundo e o Bayern de Munique (611,4 milhões) foi o terceiro. O Manchester United ficou em quinto, seu lugar mais baixo até hoje, e o Paris Saint-Germain foi o sexto, enquanto o Liverpool ficou em sétimo.

O campeão europeu Chelsea, agora à venda após as sanções impostas ao bilionário russo Roman Abramovich após a invasão russa da Ucrânia, foi o oitavo colocado.

O estudo avalia três tipos de receitas: matchday (ingressos para a temporada e bilheteria); direitos de transmissão (incluindo participações em ligas, copas e competições europeias); e comercial (marketing, patrocínios e outros). Valores obtidos com transferências de jogadores não entram na conta.

Veja os 30 clubes mais ricos do mundo:

Foto: Reprodução/Deloitte

Foto: Reprodução/Deloitte

*Com informações de Agência Brasil