Foto Lucas Pavin/Avante! Esporets
Foto Lucas Pavin/Avante! Esporets

O Grêmio Esportivo Juventus comemora nesta sexta-feira (1º), 54 anos de existência. Motivos para comemorar? O torcedor tricolor tem muitos.

Mesmo em meio a uma pandemia que assola o mundo, o Moleque Travesso passa por um dos momentos mais especiais desde 1º de maio de maio de 1966, dia em que um grupo de 27 pessoas do Movimento da Juventude Católica de Jaraguá do Sul ajudou a fundar o clube.

Os motivos para celebração são fáceis de compreender. Sob a presidência de Cristiano Humenhuk, a equipe jaraguaense iniciou a atual temporada com uma grande reestruturação no estádio João Marcatto.

O investimento de mais de R$ 300 mil em diversas áreas da casa juventina, incluindo a troca do gramado, era necessário para a volta à Série A do Campeonato Catarinense após seis anos.

Novo gramado do estádio João Marcatto | Foto Divulgação/Juventus

Com as reformas concluídas, veio o Estadual, e nela, o time comandado pelo técnico Jorginho conseguiu recuperar o orgulho perdido por sua torcida em muitos momentos.

Muito por conta da gangorra vivida ao longo de sua história, com rebaixamentos, estagnação na Série B e até período de inatividade.

Com isso, a permanência na elite era o principal objetivo para 2020. Porém, o Moleque Travesso voltou a aprontar e foi muito além do planejado.

Com um sexto lugar na primeira fase, o Juve voltou a conquistar uma classificação ao mata-mata e ainda garantiu uma vaga à Série D do Campeonato Brasileiro de 2021. A volta ao cenário nacional não acontecia há 25 anos.

“Sabíamos da nossa capacidade, que poderíamos chegar, e conseguimos. Mas temos muito pela frente e meu sonho é colocar o Juventus na Série C do Campeonato Brasileiro. Se conseguirmos seguir corretamente nosso plano estratégico vai dar certo”, destacou o presidente Cristiano Humenhuk.

Comemoração das classificações após a vitória sobre o Marcílio Dias | Foto Lucas Pavin/Avante! Esportes

A paralisação do futebol por conta da pandemia do novo coronavírus interrompeu uma jornada que se desenhava histórica.

A crise se instaurou no futebol e afetará muitos clubes, mas o Juventus já mostrou seu poder de recuperação em outrora e esse será só mais um obstáculo para voltar a brilhar em campo, sempre sob a proteção do Padre Elemar Scheid, visionário e decisivo para criação do Juventus.

Ao torcedor, resta relembrar os tempos gloriosos do clube e ter esperança de que os dias vitoriosos logo voltarão para continuar presenciando o crescimento do ‘time do povo’ de Jaraguá do Sul.

Planos para superar a crise

Com os campeonatos estaduais interrompidos por conta da pandemia do coronavírus, os clubes pequenos do futebol brasileiro vêm sofrendo financeiramente. Em Santa Catarina, o Juventus é uma das equipes mais afetadas pela paralisação, ainda sem data para terminar.

Para minimizar o impacto econômico neste período sem jogos e sem receitas, a diretoria tricolor tenta achar saídas e já apresentou alguns planos.

A tradicional feijoada, realizada na semana passada, foi uma delas. Para evitar aglomeração, o clube disponibilizou almoço apenas para retirada, que gerou um lucro de cerca de R$ 5 mil.

Além disso, está sendo vendido uma rifa, com cada bilhete custando R$ 50. Quem adquiri-lo vai concorrer a sete prêmios, entre eles, um carro 0km, prêmios em dinheiro e dois sócios-torcedores.

Todo valor arrecadado será revertido para as despesas de maio do clube, que não estavam previstas no planejamento da diretoria, como renovação de atletas para terminar o Estadual.

Nesta semana, o Tricolor ainda recebeu a notícia de que ganhará um aporte de R$ 20 mil, doados em conjunto pela Federação Catarinense de Futebol, Associação de Clubes e pelo Brusque.

A situação está longe de ser solucionada, mas a diretoria acredita em uma união de forças para superar a crise.

“Não esperávamos ter uma folha salarial a mais que envolve várias despesas (alojamento, alimentação, transporte, campos para treinos...), e ainda tem toda a base. Isso nos deixou em uma situação muito difícil e vamos fechar o caixa no vermelho. O único modo que vemos no momento para receita são em eventos, rifa e ajuda de alguns empresários, que vejam como o Juventus é importante para cidade e logo estará no cenário nacional. Com a união de todos sairemos dessa situação”, disse o presidente Cristiano Humenhuk.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul