Representar o Brasil, independente da modalidade, é o ápice na vida de qualquer atleta. E com apenas 16 anos, um jaraguaense terá a oportunidade de vivenciar esse momento único.

Guilherme Gustavo Kanzler apareceu na lista de 20 convocados da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) para disputa do Campeonato Mundial Júnior de Natação 2022, em local e data a ser definida.

Grande nome da equipe AJINC, de Jaraguá do Sul, o garoto chega à seleção em seu melhor momento na carreira. São quase 300 medalhas desde que iniciou no esporte, mas as mais expressivas vieram nos últimos anos.

No último Brasileiro, por exemplo, foram seis medalhas conquistadas, sendo duas de ouro e quatro de prata.

Foto: Divulgação

Desempenho que já havia lhe rendido uma convocação para os Jogos Sul-Americanos da Juventude, que será nos dias 28 de abril a 1° de maio, em Rosário, na Argentina, e agora ainda mais coroada com a chamada para o Mundial, onde vai competir nos 400m medley.

“O sentimento é de felicidade, pois o sonho de todo atleta é ser convocado para uma seleção brasileira. Fico feliz em saber que todo meu esforço e os treinos diários valeram a pena”, disse.

E engana-se quem pensa que o jovem nadador vai para sua primeira competição internacional apenas para adquirir experiência. Para ele, o foco é voltar para casa com uma medalha no peito.

“Vou com objetivo de ficar entre os melhores e pegar uma medalha, além de trazer mais conhecimentos e aprendizados com esse Mundial”, destacou.

História e projeção brilhante

A ligação de Guilherme com a natação começou cedo, logo aos três anos de idade. Muito por influência da irmã Liandra Laiz Kanzler, que já competia pela AJINC.

O apoio a irmã e o clima vivido em campeonatos só fez crescer a vontade do menino em ter a mesma experiência. E não deu outra. Aos nove anos, entrou para equipe jaraguaense e a modalidade passou a fazer parte de sua rotina, assim como as conquistas.

Desde que começou a competir em 2014, ele acumula aproximadamente 280 medalhas e 21 troféus, sendo eles de travessia, melhores índices técnicos e atleta eficiência nas piscinas.

Parte dessa evolução se deve a seis professores que ajudaram a lapidar a joia, começando por Verônica Paciello Matile, passando por Marina Fructuozo, Iara Fructuozo e Ronaldo Fructuozo ‘Kiko’ até chegar em Marco Veiga, o Marcão, que acompanha o pupilo desde 2019, junto com Márcio Kunhatã.

“É um marco (a convocação), porque mostra que o programa desenvolvido dentro da AJINC é capaz de chegar a seleção brasileira e a excelência. Ele (Guilherme) passa a ser um espelho pra toda garotada da base, motiva e inspira essas novas crianças a chegarem onde o Guilherme está chegando”, afirmou Marcão.

O técnico da AJINC também destacou que esse é só o começo de uma trajetória brilhante de Guilherme. Porém, fez um apelo para um fator que pode ser fundamental para o atleta alcançar todos seus objetivos na natação.

“Eu acredito que o Guilherme pode chegar em uma Olimpíada, mas ele está chegando em um nível que precisamos de uma piscina olímpica. Ele treina em uma piscina semi olímpica em que as condições não são as ideais, porque não tem as medidas oficiais”, finalizou.