Em depoimento na 42ª delegacia da Polícia Civil, o lateral-direito Marcinho confessou ter atropelado e não ter prestado socorro a um casal de professores na noite do dia 30 de dezembro.

Segundo o delegado Alan Luxardo, que comanda as investigações, o ex-jogador do Botafogo ainda disse que dirigia em baixa velocidade (aproximadamente 60km/h) e negou que estivesse alcoolizado.

Marcinho também declarou que fugiu do local por medo de ser linchado pelas testemunhas. Um dos atropelados, Alexandre Silva de Lima morreu no local e Maria Cristina José Soares foi internada em estado grave no Hospital Lourenço Jorge.

O carro foi encontrado abandonado na Rua Hermes de Lima, no Recreio dos Bandeirantes, a cerca de 600 metros do local do acidente.

A polícia realizou uma primeira perícia ali mesmo no local, e o veículo em seguida foi levado pela seguradora para a garagem da casa do pai do jogador.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul