O Juventus deixou o Campeonato Catarinense comemorando uma histórica campanha ao chegar na semifinal.

Mas assim como em todos os clubes brasileiros, o Tricolor encerrou seus compromissos dentro de campo na temporada, com grandes prejuízos pela paralisação de quase quatro meses do futebol, devido a pandemia do novo coronavírus.

Com o Estadual como única competição disputada em 2020, a diretoria traçou um planejamento de cinco meses, iniciando em dezembro de 2019 para finalizar em abril deste ano.

Porém, com a longa parada e a classificação às fases finais do Estadual, o projeto precisou ser estendido até agosto, gerando um prejuízo total de R$ 420 mil ao time jaraguaense, conforme revelou o gestor Renê Marques em entrevista ao OCP.

Foto: Lucas Pavin/Avante! Esportes

Além da dívida, que a diretoria pretende sanar integralmente em meados de 2021, o Moleque Travesso lamentou a falta de arrecadação, que poderia ter salvo o caixa.

Com a proibição de público nos jogos decisivos do Catarinense e eventos tradicionais, o clube deixou de faturar cerca de R$ 400 mil, com rendas de bilheteria, bar e loja, por exemplo.

Mas a diretoria garante que vem tentando driblar as dificuldades financeiras e manterá o clube ativo, mesmo sem competições até o fim do ano.

Dentro de campo, há uma previsão para a categoria de base retornar seu trabalho em setembro, enquanto o profissional deve se apresentar em dezembro, de olho na Copa Santa Catarina e Estadual.

Fora das quatro linhas, o clube segue investindo em estrutura e vendendo serviços, como a feijoada e frango assado aos finais de semana, e a cozinha industrial que vende marmitex.

“Juventus não para. O futebol profissional dá um tempo, mas não podemos esperar chegar dezembro para montar o projeto”, afirmou Renê.

Foto: Lucas Pavin/Avante! Esportes

Apesar dos prejuízos em razão da pandemia, o dirigente destacou os principais pontos positivos, que vão além dos resultados apresentados no Estadual.

“O grande ponto positivo foi o crescimento do clube, tanto de forma estrutural como técnica. No conjunto da obra foi uma evolução muito bacana para marca Juventus. Cheguei quando já existia um processo de reestruturação e fortalecemos essa união”, comentou.

“É muito prazeroso o que estamos vivendo aqui e a maneira que fui recebido pela diretoria. Estou muito feliz em Jaraguá, com os números que o torcedor tem nos apresentado e os comentários que chegam até nós. Estou totalmente entregue ao projeto e sei que o Juventus tem muito mais a oferecer para cidade”, finalizou.

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul