Ademar Frederico Duwe ficou marcado na história de Jaraguá do Sul por ser um dos idealizadores da Schützenfest e ter uma grande carreira na política ao ser deputado estadual, vice-prefeito e secretário municipal.

Mas o político e empresário, que morreu na madrugada desta quinta-feira (11), aos 83 anos, também teve parte importante de sua vida dedicada ao esporte.

Foto: Arquivo OCP News

Jogador com passagens por várias equipes amadoras de Jaraguá do Sul, Duwe fundou o Cruz de Malta, um dos clubes mais tradicionais da cidade, ao lado do amigo Eugênio Muller, no dia 27 de agosto de 1961.

O nome, aliás, dado de forma curiosa. Vascaíno de coração, Duwe gostaria que a equipe se chamasse Vasco, enquanto o botafoguense Muller preferia o nome do outro alvinegro carioca.

O dilema foi resolvido por um outro amigo em comum, Eugenio Strebe, que sugeriu Cruz de Malta e acabou agradando os dois lados.

Hoje, o clube do bairro Rio da Luz é o maior campeão da Primeira Divisão de Jaraguá do Sul, com 14 títulos, tem o próprio estádio, salão social e museu.

Duwe (primeiro em pé, da esquerda para direita), ao lado do time do Cruz de Malta de 1985, campeão da invicto da "Taça João Nunes" | Foto: Divulgação

Além de fundador, Duwe também foi técnico e dirigente em diversas funções do cruzmaltino por um longo período.

Ligação no Juventus

Quando foi deputado estadual na década de 90, Ademar Duwe foi um dos grandes responsáveis pela ampliação do estádio João Marcatto, a casa do Juventus.

A Prefeitura, que tinha Ivo Konell como prefeito na época, disponibilizou uma parte do dinheiro ao clube para construção de novas arquibancadas.

Mas boa parte da quantia veio do Governo de Santa Catarina através de Duwe, que intermediou a liberação do recurso ao Moleque Travesso.

Ele, inclusive, esteve no encontro que formalizou o negócio, juntamente com os ex-governadores Paulo Afonso e Luiz Henrique da Silveira, o ex-prefeito de Jaraguá do Sul, Ivo Konell, e o ex-jogador do Estrella e político Reginaldo Schiochet (todos na foto de capa).