O Instituto-Geral de Perícias (IGP) do Rio Grande do Sul concluiu que não é possível identificar por Rafael Ramos, lateral do Corinthians, acusado de injúria racial pelo volante Edenilson, do Internacional.

O meio-campista acusou o defensor do Corinthians de chamá-lo de "macaco" durante uma disputa de bola no jogo entre as equipes, no dia 14 de maio, no Beira-Rio, pelo Brasileirão.

Após o laudo apresentado pelo IGP, Edenilson se manifestou nas redes sociais e mudou seu nome no Instagram para "Macaco Edenilson Andrade dos Santos".

Foto: Reprodução

Ele ainda apagou todas as publicações no seu perfil e publicou nos “stories” uma foto com punho erguido e uma mensagem: "Não iriam nos calar? Já nos calaram. Se ofendidos aceitem, engulam a seco. Finjam que não escutaram, é uma luta desleal, é uma luta inconclusiva", escreveu.

Foto: Reprodução

A delegada responsável pelo caso, Ana Luiza Caruso, disse que não haverá indiciamento neste primeiro momento, mas vai encaminhar o processo ao Ministério Público (MP), que vai decidir se dará prosseguimento ao caso na Justiça ou não.