O bicicross e o esporte de Jaraguá do Sul está de luto. Neste domingo (19), Dorival Greutzmacher morreu aos 72 anos, vítima de um infarto.

Dori, como era conhecido, deixou seu nome marcado na história da modalidade. Uma ligação de amor que iniciou em 1994, através do filho Ricardo Gruetzmacher.

Então com cinco anos, o garoto foi convidado por Valdir Moretti para conhecer o esporte. E foi amor à primeira vista.

Em pouco tempo, Rica já treinava e competia na pista do Parque Malwee, sempre acompanhado do pai, que passou a dividir a paixão sobre duas rodas até virar um dos grandes incentivadores do BMX jaraguaense.

Mais do que isso. De espectador e torcedor, Dori resolveu virar atleta após uma viagem com o filho à Várzea Paulista (SP), em 1998.

Comprou uma bicicleta e todos os equipamentos necessários para mergulhar fundo nas pistas. “Sempre acompanhava a equipe e pensei assim: puxa, eles estão correndo e eu não. Então, comecei a competir, aos 45 anos”, disse Dori, em entrevista ao OCP em 2013.

Foto: Henrique Porto/Arquivo Avante! Esportes

A parceria entre pai e filho proporcionou uma convivência ímpar. Juntos viajaram pelo Brasil e a América do Sul competindo sobre duas rodas e reforçando o elo de amizade.

Também reforçaram o senso crítico, já que um analisava o desempenho do outro, na busca constante pela conquista das primeiras colocações.

Porém, de forma abrupta e inesperada, a parceria se desfez. Rica teve complicações após um procedimento cirúrgico para a retirada do apêndice e acabou falecendo, aos 18 anos.

Bastante abalado, Dori embalou e guardou as lembranças da bela história que escreveu junto com o filho. Assim, 285 troféus, 52 camisas e 62 medalhas ficaram ‘esquecidos’ durante cinco anos.

Mas em 2013, resgatou essa rica trajetória ao montar um pequeno memorial em uma sala alugada no edifício em que morava para manter viva a lembrança do filho.

Fora das pistas, Dorival Greutzmacher trabalhou até a aposentadoria na Weg, mas sempre foi lembrado por tudo que entregou ao bicicross de Jaraguá do Sul.

Dori deixa enlutados a mulher Iracema Schuster Gruetzmacher, a filha Patrícia Gruetzmacher, o genro Carlos Alberto Sanson e os netos Gustavo e Sofia.

Ele está sendo velado na Capela Mortuária da Vila Lenzi. O enterro ocorre por volta das 11h desta segunda-feira (20), no Cemitério da Vila Lenzi.