Foto Arquivo Pexels
Foto Arquivo Pexels

Um empurrão, um xingamento verbal ou a retenção de um benefício financeiro. Consideradas violências pelo Estatuto do Idoso, essas e outras ações atingem pelo menos 33 mil pessoas acima de 60 anos por ano no Brasil, sendo cerca de mil em Santa Catarina.

Os dados, coletados pelo Ministério Público de Santa Catarina junto ao Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, demonstram a necessidade de se debater a violência contra o idoso, ainda mais neste dia 15 de junho, data instituída pela Organização das Nações Unidas (ONU) como Dia Mundial de Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa.

"O Dia Mundial de Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa deve ser divulgado e lembrado como oportunidade para dar visibilidade e voz a essa população, ao sofrimento que atos de violência dos mais diversos tipos, física, psicológica, moral, financeira, o abandono, a negligência, causam nessas pessoas. Dar visibilidade a um problema é o primeiro passo para enfrentá-lo", afirma o promotor de Justiça Douglas Roberto Martins.

Maior parte dos casos ocorre dentro de casa

A violência contra idosos não engloba apenas atos físicos, mas também situações que culminem no isolamento social, abandono, humilhação ou falta de cuidados básicos, como alimentação e higiene.

Os principais tipos de violência denunciados em 2017 envolvem negligência, violência psicológica e violência patrimonial, que ocorre quando alguém se aproveita do idoso financeiramente, retendo valores referentes a benefícios, como a previdência. Em 52% dos casos, a violência é cometida pelos próprios filhos; em 85%, dentro da própria casa.

O cenário de envelhecimento da população brasileira é uma realidade e reforça a necessidade de se pensar na qualidade de vida dessa parcela da sociedade. Atualmente, as pessoas com 65 anos ou mais de idade representam 10,5% da população, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua do IBGE de 2018.

Até 2060, o percentual deve ultrapassar 25,5%, ou seja, um em cada quatro brasileiros será idoso. Em Santa Catarina, onde a expectativa de vida é alta, o número de habitantes acima de 70 anos deve quadruplicar nos próximos 42 anos.

Denúncias

Qualquer cidadão que tem conhecimento de uma violação de direito contra o idoso ou situação suspeita pode fazer uma denúncia por meio do Disque 100, do site do Ministério Público ou, presencialmente, procurando a Promotoria de Justiça mais próxima.

Lembre-se, se você não é idoso, um dia será! Então, para ter o respeito e ser bem tratado pelos outros, faça o mesmo.

Fonte: Ministério Público de Santa Catarina

Quer receber as notícias no WhatsApp?