Um senhor de aspecto simpático caminhando pelo Centro de Jaraguá do Sul, uma simplicidade que torna impossível, para quem vê, imaginar que aquele homem tem tantas histórias. Mas Rolf Botho Hermann é um cidadão do mundo que se tornou cidadão jaraguaense, ao lado da indissociável figura de sua mulher, Gillian Edith (in memorian).

Filho de um imigrante alemão com uma joinvillense, ele foi, com o pai, mãe e irmãos para uma viagem à Europa quando ainda era adolescente. O desejo do sr. Hans Richard Hermann era que os filhos conhecessem o mundo. Por ironia do destino, a Segunda Guerra Mundial estourou quando estavam lá e o sr. Hans, de nacionalidade alemã, foi convocado a lutar no exército alemão, morrendo em combate. Com o fim da guerra, a mãe e o irmão retornaram ao Brasil. Ele permaneceu na Europa, percorrendo países europeus, mais África e Ásia, onde fez grande parte dos trajetos de bicicleta.

Em viagem à Ásia, esteve em Singapura, então colônia britânica, onde um amigo o apresentou à jovem Gillian Edith, que tinha 20 anos. Ela era filha de um oficial da Royal Air Force britânica (RAF), à serviço no país. A paixão foi imediata, mas por questões relativas à idade de emancipação, ela não pôde vir com ele.

Passaram-se alguns meses e ele retornou para buscá-la. No Brasil, desembarcaram em Joinville e depois foram morar no Paraná, onde ele conseguiu emprego na empresa Klabin Papel e Celulose'. Posteriormente, mudaram-se para Jaraguá Do Sul, onde viveriam sua mais incrível história, seja pelo empreendimento que iniciaram, seja pela imensa contribuição que prestaram à sociedade jaraguaense. O desenhista técnico que veio trabalhar na Weg se tornaria fundador de uma das mais sólidas e longevas empresas locais. Na cidade, o casal criou os filhos Richard Peter, William Paul e Nikolau Rodney.

Aos quase 90 anos, ele continua levando uma vida ativa, inclusive caminhando pelas ruas do Centro, em Jaraguá do Sul.