Com o distanciamento social ainda vigorando, embora reduzido, medidas de realizar os serviços de forma remota no setor público tem ganhado força.

Um exemplo é a videoconferência, usada para intermediar reuniões, sessões do legislativo e sessões do judiciário.

Em Jaraguá do Sul e em Chapecó, as teleconferências passaram a ser usadas nas sessões de conciliação deste a úlitma quarta-feira (15).

Desde então, juntos, homologaram R$ 118,9 mil em acordos por videoconferência desde a semana passada, quando passaram a seguir a recomendação da Presidência do TRT-SC de estimular a conciliação durante o período de suspensão de prazos e audiências, imposta pela pandemia de covid-19.

Foram ao todo 14 acordos fechados em 15 tentativas, de quarta (15) até segunda (20).

Em Chapecó, a primeira conciliação foi firmada na quinta-feira (16) pela juíza Vara Marisa Ramos, titular da 3ª Vara do Trabalho.

A controvérsia envolvia uma vendedora de uma loja de componentes de móveis e perfis de alumínio, em ação proposta em janeiro deste ano. Ela irá receber R$ 4,2 mil referentes a depósitos de FGTS não realizados pelo empregador.

No dia seguinte, foram realizadas mais oito videoconferências, com conciliações bem sucedidas em todas elas - ao todo, foram R$ 81,2 mil homologados.

Em Jaraguá do Sul, o primeiro acordo foi homologado na quarta passada (15) pelo juiz Carlos Aparecido Zardo, da 2ª Vara do Trabalho, entre um trabalhador e uma empresa de comércio de pneus.

As partes iniciaram as tratativas extrajudicialmente, conforme possibilita a nova CLT, e ingressaram na Justiça requerendo a validação da negociação.

 

Quer mais notícias do Coronavírus COVID-19 no seu celular?

Mais notícias você encontra na área especial sobre o tema:

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul