Fotos divulgação
Fotos divulgação

Pode escolher: jazz, rock, samba, reggae, pop... E isto só na área da música. O final de semana em Joinville se desdobra para atender gostos variados, e isso também inclui o teatro (com três espetáculos no Verão Teatral), dança, abertura de exposição e literatura. Ou seja, pode escolher que as escolhas são fartas.

 

1 - Jazz

Este ano, a Istanbul Mehmet Brasil traz uma proposta diferente para Joinville: um show com o Trovão Rocha Trio, de Florianópolis. O grupo é composto por Victor Bub, Sebastian Cavallaro e Trovão, que toca baixo de uma maneira diferenciada, utilizando-o como instrumento harmônico dentro da incomum formação com bateria e violino. A compra dos ingressos, a R$ 20, devem ser feitos pelo número (47) 98458-7676, mediante a depósito.
Quando: sexta (22), às 19h30, na Cervejaria Zeit.(av. Edgar Meister, 282).

2 - Beatles no acordeon

Menos de um ano depois, o músico gaúcho Diego Dias (da banda Vera Loca) retorna à Joinville com o show “The Beatles no Acordeon”, no qual ele é acompanhado pelo trio Diogo e Cassiano Farina e Clark Carballo, responsável pelo tom roqueiro. Já Diego, ao reproduzir as melodias das canções no acordeon, dá um toque regionalista a elas, tornando-as incomuns, mas ainda plenamente reconhecíveis. Assim, estão lá "I Want to Hold your Hand", "Yesterday", "Help", "Let it Be", "Don't Let me Down" e outras pérolas dos Beatles.
Quando: sexta (22), às 20h15, no Teatro Juarez Machado.

3 - Os Palhaços

17 de agosto de 1968. O Grupo de Teatro Renascença desejava estrear Os Palhaços de Miraci Dereti, mas é impedido pela Censura local. Realizou apenas duas apresentações, uma em Blumenau e outra em Joinville. Conforme Dereti descreve “não era uma peça de enredo. É uma peça da vida real, do cotidiano [...] O cotidiano fornece o argumento. As situações e os quadros não são criados. São apenas reproduções daquilo que a vida e a sociedade nos coloca diante dos olhos dia após dia.
Quando: sexta (22), às 20h30, no galpão da Ajote (Cidadela Cultural).

4 - Exposição

Para abrir o período expositivo de 2019 e celebrar o aniversário de 168 anos de Joinville, a Galeria de Arte Victor Kursancew inaugura a exposição “A cidade visível: Joinville”, do artista Gabriel Coelho. A mostra reúne 12 caligramas – imagens ou desenhos formados com a escrita de textos ou poemas – que retratam pontos específicos da paisagem urbana de Joinville com os quais o autor guarda relação afetiva. Junto as obras vão textos do livro “Cidades Invisíveis”, do escritor italiano Italo Calvino.
Quando: sábado (23), às 10h, na Galeria de Arte Victor Kursancew (anexa a Casa da Cultura).

5 - #Leia Mulheres

O grupo de leitura se reúne desta vez para discutir “A Filha Perdida” (2006), obra aclamada da escritora Elena Ferrante, pseudônimo de uma romancista italiana cuja verdadeira identidade é desconhecida do público. A obra aborda a questão da maternidade e as consequências que a família pode ter na vida de diferentes gerações de mulheres.
Quando: sábado (23), às 15h, na 33ArtHouse (rua Bento Gonçalves, 33).

6 - Dazaranha

uma das principais bandas catarinenses apresenta em Joinville as músicas do disco “Afinar as Rezas” (2016), além daquelas que todo mundo quer ouvir.
Quando: sexta (22), às 21h, no Bovary.

7 - Dança

“Brasilidar”, com coreografia e performance de Jesse da Cruz, é um espetáculo que parte da mística da cultura de matriz africana. Os mitos, assim como as religiões, foram transmitidos de boca a boca, e assim podemos encontrar detalhes e informações diferentes na mesma história devido à tradição de cada povo. Mediar para a transformação de multiplicadores de valores anti-racistas e reconhecer as marcas das culturas africanas no cotidiano nacional fazem parte do desenvolvimento do espetáculo de dança.
Quando: sábado (23), às 20h, no Sesc Joinville.

8 - A Farsa do Juiz

A peça do grupo Canto do Povo conta a história de um juiz glutão que, para satisfazer o seu apetite, induz o dono de uma hospedaria, João Brás, a roubar o assado do caçador. O caçador ao descobrir persegue furiosamente João Braz que na fuga acaba, sem querer, cometendo outros crimes e mais pessoas começam a persegui-lo ameaçando a sua vida. E sua única salvação é pedir socorro ao Juiz.
Quando: sábado (23), às 20h30, no galpão da Ajote (Cidadela Cultural).

9 - Mumuzinho

A Fábrica Otto reabre as portas e, para tanto, convoca o cantor Mumuzinho. Ele comparece com o repertório do DVD “A Voz do meu Samba”, lançado no ano passado, que traz músicas como “Eu Mereço ser Feliz”, “Não quero Despedida”, “Fulminante” e “Dengo Nego”.
Quando: sábado (23), às 23h, na Fábrica Otto (av. Santos Dumont).

10 - A Princesa Margarida

Bonecos, fantasia e muita cantoria formam o espetáculo infantil da Metamorfose Cia. Cênica. A princesa Margarida desapareceu, e o rei convoca a todos para ajudar a encontrá-la. O espetáculo, com dramaturgia criada a partir da ciranda “Onde está a Margarida” contém muitos elementos dos contos que povoam o imaginário popular, com cantigas e brincadeiras tradicionais. O resgate das brincadeiras populares é o que a montagem propõe de forma bastante interativa.
Quando: domingo (24), às 18h, no galpão da Ajote (Cidadela Cultural).

11 - Mosaico

Segue até o dia 31 de março a mostra “Fragmentos”, da artista Elisabete Baumann, que busca uma reflexão em torno da rotina acelerada que, por muitas vezes, não nos permite observar a beleza de pequenos detalhes que nos cercam. Nas 70 obras, a artista reúne mosaicos que questionam a diversidade, a força feminina, a natureza e a espiritualidade.
Quando: até 31 de março, no Garten Shopping.