Os livros e suas capas

Quando era criança, lembro muito bem de quando éramos levados até a Biblioteca do Colégio Divina Providência para as nossas aulas de leitura. O momento da escolha do livro que eu iria ler era sempre um momento de apreensão, pois eu sempre queria pegar o livro que tivesse mais ilustrações e figuras, e consequentemente, menos letras para serem lidas...

Livros escolhidos, íamos para as mesas para fazer a leitura. Lembro da Irmã Júlia e seus cabelos grisalhos num corte chanel, sentada imponente na sua escrivaninha e a cada ruído vindo das mesas onde estávamos, o silencio do ambiente era cortado por um PSSSSSSSSSSSST!, vindo da boca da Irmã Julia.

Já na 8ª série, tínhamos as temíveis fichas de leitura para fazer e eu naquela rebeldia e vontade de ser diferente, escolhi para ler o livro Dona Flor e Seus Dois Maridos de Jorge Amado. Por essa escolha, quase fui expulso do colégio.

O nosso professor de Português, o já falecido Irmão João, ao ver o livro que eu havia escolhido, encaminhou-me à direção do Colégio e lembro como se fosse hoje dele falando ao Diretor: “Esse menino trazendo essas literaturas pornográficas para a escola!”.

Bem, como vocês podem ver, meus relacionamentos com livros nunca foram dos melhores, em compensação com as pessoas eu sempre soube me dar bem. Falo isso porque como com os livros, muitas pessoas julgam as pessoas pela “capa” sem sequer ter trocado uma palavra com elas.

Na semana que passou aconteceu uma situação parecida comigo. Estava sendo apresentado para uma pessoa e essa pessoa, não deixou nem quem estava nos apresentando terminar de falar e já com o dedo em riste na minha cara disse: “Eu conheço ele faz uns 100 anos, ele sempre foi nariz empinado” vendo que a pessoa que nos queria apresentar ficar totalmente sem jeito eu falei: “Eu nunca fui nariz empinado” e a pessoa respondeu; “É nariz empinado sim!”.

Pensei eu: Bom, se essa é a opinião dela, vamos então fazer valer essa opinião. Peguei meu celular, procurei alguma coisa interessante para ler, dei as costas para a pessoa em questão e passei o resto da noite lendo. Detalhe, eu jamais em toda a minha vida havia visto aquela pessoa. E com certeza, a exemplo dos livros, ela deixou de “poder ler” o que eu tinha de interessante escrito nas minhas páginas.

Bom, a vida é assim, uns gostam dos olhos, outros da ramela! E vamos continuar vivendo, aprendendo e escrevendo as histórias no nosso livro da vida.Então minha gente, vamos aprender a saber o que os livros querem nos ensinar, ao invés de em primeiro lugar nos encantar ou nos decepcionar apenas com a capa.

Podem virar a página!

-

Pirata Rock Bar

Banda Ciclo 5 de BC faz o som no Pirata Rock Bar nesta sexta-feira

Capitão mandou avisar que a embarcação está prestes a sair do cais nesta sexta-feira (26) trazendo à bordo a banda CICLO 5 de Balneário Camboriú para agitar a galera com o repertório repleto dos sucessos de CPM22, Raimundos, Charlie Brown Jr., Detonautas e muito mais.

No sábado (27) é a vez do MR MOONRISE Acústico no Pirata, no playlist da banda Creedence, Bon Jovi, Nickelback, Foo Fighters e os clássicos do rock de todos os tempos. Vale lembrar que a censura da casa é de 16 anos, sendo que menores de 16, devem ser acompanhados pelos pais.

Obrigatória apresentação de documento com foto. Mais informações podem ser obtidas pelo fone: (47) 9 8407-9266.

-

CPM 22 e Comunidade Nin-jitsu

Comunidade Nin-Jitsu é uma das atrações do dia 17/02 no Pirata

Está chegando a hora! No palco do Pirata, no próximo dia 17 de fevereiro, show com as bandas CPM 22 e Comunidade Nin-jitsu. A abertura do show rola por conta da banda Código de Bar.

Os ingressos já estão sendo vendidos nos seguintes locais: Pirata Rock Bar, Container Rock Wear, Ponto Certo Moda Jovem, Quiosque Brahma Chopp Shopping, Academia Espaço Maior, Posto Mime Matriz e no Posto Cidade Centro.

Fiquem atentos porque vai rolar sorteio de ingresso aqui na coluna! ;)

-

Vamos embora, porque a litorina não espera.
Até semana que vem!