Foto Arquivo Pessoal
Foto Arquivo Pessoal

Não, você nunca estará preparada, e é isso que torna essa jornada tão especial. Ser mãe é desconstrução, é distanciar-se da pessoa que você conhece para tornar-se outra. Uma pessoa com muito mais responsabilidades, conceitos diferentes e novas metas. Nasce um bebê e nasce uma mãe.

Mas você nunca estará realmente preparada para isso; para a grande notícia; para os dois risquinhos no teste de farmácia e a notícia dessa vida que resolveu chegar de surpresa. Mesmo quando a gravidez é planejada por anos de tentativas falhas, quando as chances parecem não existir e a busca incessante pela construção da família cansa, o coração palpita quando o sonho vira realidade: agora é para valer!

Desculpem-me os homens, mas a experiência de ter um serzinho dentro do seu corpo, enlouquecendo os hormônios, abrindo espaço, mudando seu corpo todo, te deixando redonda e com sua melhor forma, gerando uma vida com amor e sabedoria, isso é um bônus feminino, e também uma grande responsabilidade.

Só uma mãe sabe o que é sentir cada chute de um fruto que está gerando, sentir os soluços dessa pequena vida que ali, tão vulnerável, está no lugar mais aconchegante do mundo. Engana-se quem acha que a mulher só se torna mãe quando o bebê vem ao mundo. A maternidade começa desde sempre. Gerar uma vida é fácil, você só precisa ter um útero e ser fértil, difícil é fazê-la com amor e sabedoria, e é aí que entra a grande escolha em ser mãe.

Você escolhe ser mãe quando abdica de seus gostos; quando deixa de beber aquele drink no final de semana; quando abandona a balada e passa a ter maiores momentos de conexão e descanso; quando para de pensar em você e passa a pensar em vocês; quando até o comercial de margarina te emociona; quando escolhe com ansiedade, medo e amor as roupinhas novas que preencherão o armário novo no quarto novo; quando chora só de ouvir o coração palpitando pelo rádio; quando engole a raiva e cuida do seu espiritual porque sabe que sente por dois; quando encontra nele uma razão para te fazer mais forte do que jamais pensaria ser.

E quando finalmente chega a grande hora do encontro, sem mais nenhum ultrassom, sem ouvir o coração bater pelo rádio, na barriga fica só o vazio de uma casa que foi habitada recentemente e que agora se recupera com perfeição, agora é real! Ver aquele rostinho inchado com olhos fechadinhos tão aguardado pela primeira vez, sentir sua pele macia, ouvir sua voz e saber que você é a grande Deusa dessa vida que nasceu, é de arrepiar, é amor que escorre pelos olhos. E agora, é mais um começo!

O seu toque, a sua pele, o seu cheiro, o seu colo, a sua voz, o seu sorriso, as suas descobertas, o seu coração. É isso. É amor da cabeça aos pés, por onde for!

Feliz Dia das Mães!