A revista britânica The Economist divulgou na última quinta-feira (10) o Índice Big Mac, que compara o preço do sanduíche mais conhecido da rede de fast food McDonald’s em diferentes países – referente ao mês de janeiro.

A publicação criou o índice em 1986 como método de avaliação da estabilidade de moedas pelo mundo – baseado na teoria da PPC (paridade do poder de compra).

E isso diz muito a respeito do seu bolso e do valor do real. O dólar americano serve como “âncora” para a medição.

O custo atual do Big Mac nos EUA é de US$ 5,58. O sanduíche foi escolhido pela disseminação da rede pelo globo - afinal, difícil dizer um país que não conte com McDonald's em todos os cantos.

O índice busca identificar uma relação entre as taxas de câmbio e o valor de mercadorias que as moedas podem comprar.

Explicando: se um um Big Mac custa US$ 5 nos EUA e R$ 15 no Brasil, significaria dizer que a paridade entre as moedas é de 1:3, caso o câmbio e os valores dos hambúrgueres tenham uma relação perfeita e sem desvalorizações.

Na comparação bruta o Big Mac brasileiro custa, em média, R$ 16,90. Se comparado ao preço do hambúrguer norte-americano, a relação é de 3.03.  O índice está 18,5% abaixo da cotação, de R$ 3,72  por dólar, na data da publicação do índice.

Em outros produtos a disparidade é mais grave - jogos eletrônicos, por exemplo, tem uma relação de preço que vai de 4.00 a 6.00 dependendo do título - vendidos nos EUA por uma média de US$ 60, no Brasil os jogos chegam a sair por R$ 360 - ou mais.

Outro caso em que o real é particularmente fraco é em celulares - chegando a uma relação de 10:1, caso do iPhone XS Max, que passa de US$ 799 para R$ 7.999.

Na avaliação, foram consideradas as moedas de 48 países mais as nações da Zona do Euro, totalizando 49 moedas e 64 países. Também utilizou-se como base, além do dólar, o euro, a libra esterlina (Reino Unido), o yen (Japão) e o yuan (China).

Refis 2018 em Guaramirim

Moradores de Guaramirim têm até o final de junho para aderir ao Refis 2018. O prazo limite originalmente seria dezembro de 2018, mas foi alterado ao fim do ano passado por lei complementar, que também alterou as formas de pagamento.

As dívidas podem ser pagas em cota única com desconto de 90% da multa e 100% de desconto de juros ou parceladas em até 24 vezes, sendo o desconto de 70% na multa e juros.

Inflação de 2019 deve ficar na casa de 4%

A inflação, calculada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), neste ano deve ficar em 4,02%.

Essa é a previsão de instituições financeiras consultadas pelo Banco Central (BC) todas as semanas sobre os principais indicadores econômicos.

Parceria com Boeing

O Conselho de Administração da Embraer ratificou a aprovação dos termos da parceria com a Boeing. A decisão, tomada na última sexta-feira (11), ocorre após o governo federal autorizar a negociação.

Agora, o acordo deverá ser submetido à aprovação dos acionistas e das autoridades reguladoras. O acordo em andamento entre as duas companhias prevê a criação de uma nova companhia, uma joint venture, no termo do mercado, na qual a Boeing teria 80% e a Embraer, 20%.

Caberia à Boeing, a atividade comercial, não absorvendo as atividades relacionadas a aeronaves para segurança nacional e jatos executivos, que continuariam somente com a Embraer.

Falências caem 16% em 2018

Os pedidos de falência caíram 16,% em 2018 na comparação com o ano anterior, segundo dados com abrangência nacional da Boa Vista SPC.

Mantida a base de comparação, as falências decretadas registraram alta de 9,6% e os pedidos de recuperação judicial subiram 7,9%. As recuperações judiciais deferidas apontaram avanço de 5,8%.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?