O cancelamento da agenda do governador em exercício Eduardo Pinho Moreira (PMDB), em Jaraguá do Sul, ontem, pegou a todos de surpresa. Prefeitos da região e a nova diretoria da Associação Empresarial não esconderam a frustração com o que encararam como certo descaso. Seria a primeira visita de Pinho Moreira ao município desde que assumiu o cargo com a licença de Raimundo Colombo. A agenda estava sendo intermediada pelo secretário de Desenvolvimento Econômico e Sustentável, Carlos Chiodini (PMDB).

As lideranças da Amvali já haviam preparado uma pauta de reivindicações ao novo governo, principalmente em relação às obras urgentes nas rodovias, como a SC-108, a via dos buracos. A garantia de verba para continuação do elevado na BR-280 no acesso a Massaranduba também era aguardada. Além disso, dúvidas sobre a liberação do Fundam poderiam ser reduzidas. Na posse da Acijs, o maior objetivo era ouvir de Moreira quais são os planos para os próximos meses, levando em consideração que os desafios da máquina pública são enormes e também que a legislação eleitoral inviabiliza uma série de medidas.

Segundo o coordenador de Comunicação do governo do Estado, o jornalista Chico Alves, a agenda do governador foi suspensa em Jaraguá do Sul porque reuniões administrativas foram convocadas de emergência.

Prestação de contas

Prefeito Luís Chiodini (PP) apresentou na reunião da Associação Comercial de Guaramirim um panorama da situação do município, ao lado do presidente da entidade, José Altair Weber. No fim da apresentação, Chiodini ainda assinou um termo com a Aciag se comprometendo com 21 propostas, entre elas, melhorias na infraestrutura para ampliação da capacidade de fornecimento de energia elétrica pela Celesc, investimento em infraestrutura no novo condomínio industrial, regulamentação das áreas de preservação permanente e articulação para instalação de uma unidade do Sesc no município.

Revista pronta

Nos próximos dias, o prefeito de Jaraguá do Sul, Antídio Lunelli (PMDB), também deve apresentar sua prestação de contas, na Associação Empresarial e em coletiva de imprensa. A revista com as principais ações já está pronta. Foram impressas 60 mil unidades que começam a ser distribuídas nas residências nos próximos dias. O custo foi de R$ 0,42 por exemplar, totalizando cerca de R$ 25 mil.

Continuação das obras

Prefeito Luís Chiodini assinou ontem a ordem de serviço para finalização das obras de construção do posto de saúde do Bananal do Sul. A unidade chegou a ser inaugurada pela gestão anterior, mas nunca funcionou. O valor do contrato é de R$ 108 mil com prazo de finalização de três meses. As obras envolvem acabamento, parte elétrica e hidráulica, além de melhorias externas como colocação de brita e jardinagem.

Situação de escola preocupa

A Câmara de Vereadores de Jaraguá do Sul aprovou moção de apelo solicitando a reforma da Escola Estadual Giardini Lenzi. Os parlamentares lembram que a estrutura tem 34 anos, não possui acessibilidade necessária, as salas de aula precisam de melhoria e a quadra de cobertura lateral. O documento será encaminhado ao secretário de Estado da Educação, Eduardo Deschamps.

Em foco

  • O desembargador Ricardo Roesler, empossado na presidência do Tribunal Regional Eleitoral (TRE -SC), já atuou em Jaraguá do Sul. Natural de São Bento, ele vai comandar a Justiça Eleitoral catarinense nesse pleito e já prevê que a grande batalha será contra as fake news.
  • A preocupação é genuína, visto que sites com informações incorretas influenciaram na eleição do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. O TRE já conta com sistema de identificação da origem dessas notícias o que deve contribuir com o processo eleitoral.
  • O fato do senador Paulo Bauer (PSDB) ter sido autor em 2011 de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que isentava os medicamentos de impostos federais, estaduais e municipais e, depois, em junho de 2014, ter modificado a própria proposta para facilitar a sua tramitação excluindo da isenção o ICMS não prova nada, mas reforça a tese de delação do ex-executivo da Hypermarcas, empresa do ramo farmacêutico.
  • Segundo a delação de Nelson de Mello, Bauer teria recebido repasses não contabilizados que somaram R$ 11,5 milhões. O interesse era manter um bom relacionamento com um parlamentar que ganhava destaque, era candidato ao governo do Estado e liderava debates que interessavam à empresa.
  • Pinho Moreira não veio a Jaraguá do Sul, mas deve participar hoje da posse da Associação Comercial de Criciúma, ao lado do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles. O ministro fará uma palestra sobre o cenário econômico do Brasil.