“Vamos ter que resolver”. A afirmação do prefeito Antídio Lunelli (MDB) mostra que não tem sido fácil enfrentar a velha questão do transporte coletivo em Jaraguá do Sul.

O assunto se arrasta desde o governo Moacir Bertoldi, passou pela administração de Cecília Konell, quando uma multa imposta à empresa foi anulada, depois com Dieter Janssen um novo ritmo foi adotado, com revogação do reajuste da passagem, melhorias no terminal, cobranças frequentes, um estudo para o lançamento de um novo edital, mas, mesmo assim, a concorrência não ficou pronta a tempo.

Empecilhos técnicos e burocráticos continuam arrastando a questão que já se prolonga agora pelos dois anos do atual governo.

A licitação foi alvo de questionamentos judiciais e está parada sem prazo para ser relançada. Talvez um novo levantamento tenha que ser contratado e aí a demora para o fim do impasse pode ser ainda maior.

Enquanto isso, a Canarinho continua operando o sistema com prorrogações e mais prorrogações. O problema não é a empresa - é bom que se diga. A dificuldade está no modelo, no contrato atual que não atende a demanda e cria mais e mais defasagens.

E uma pendenga judicial deixa a situação mais preocupante. Laudo inicial apontou que a Canarinho operou com prejuízo de R$ 87 milhões entre 2002 e 2016. A Prefeitura contesta os números.

Nos últimos dias, um pedido de reajuste da passagem – hoje em R$ 4,40 no cartão Ten e R$ 4,75 a embarcada – está sendo analisado pelo gabinete do prefeito e pela Procuradoria. A decisão pode sair entre hoje e sexta-feira ou então ficar para janeiro.

Lunelli diz que vai enfrentar a situação de frente, mesmo sabendo das dificuldades. Este tipo de licitação costuma ser o mais complicado de todos, um passo em falso e a população pode ser ainda mais prejudicada. Tá aí o grande desafio para 2019.

Tudo digital

Depois de Guaramirim, a Prefeitura de Schroeder anunciou a implantação do processo de análise e aprovação digital de projetos para construção de residências, comércios e indústrias.

Desde o protocolo, geração de taxas, pareceres de análises até a emissão dos alvarás de construção tudo passa a ser totalmente digital.

Outra novidade é que tanto o profissional responsável pelo projeto quanto os proprietários podem acompanhar o processo de aprovação e liberação da obra por SMS ou por um e-mail previamente cadastrado no sistema.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?