Ser rico deve ser muito bom. Ser muito rico já não é necessário. E o que dizer de um sujeito que é considerado não apenas o mais rico do mundo como ainda – e provavelmente – o mais rico da história humana? Santo Deus, é de desesperar. Sim, de desesperar

O ditado diz que “Tudo o que é demais aborrece”. Concordo. E toda vez que digo isso, um amigo me diz que esse meu conceito é conceito de pobre. Ora já se viu dizer que muito dinheiro aborrece, era só o que faltava, diz o meu amigo. Pois é, mas não abro mão desse meu conceito.

Esta conversa, leitora, leitor, vem a propósito de uma reportagem que acabei de ler e que a certa altura diz assim: - “As empresas de tecnologia se tornaram as mais ricas e poderosas do planeta e estão todas concentradas na costa oeste dos Estados Unidos. Isso gerou outros níveis de riqueza e figuras como Jeff Bezos, o dono da Amazon, que é talvez o homem mais rico da história humana”.

Já pensaste? Ser o sujeito mais rico do mundo e provavelmente o mais rico da História é de doer. Tenho pena do Jeff, podes crer, pena. Todos precisamos de dinheiro, todos, precisamos até um certo ponto, depois desse ponto o dinheiro torna-se supérfluo, dá para entender? Dá, claro que dá, tudo que é demais aborrece.

Jeff pode comprar tudo o que quiser... Tudo do que for material, bem entendido. Mas aí entra uma encrenca na alma. Nossos sonhos costumam alicerçar-se em bens materiais, claro, depois de garantirmos a saúde. Mas deve ser absolutamente sem graça não precisar desejar. O desejo só vale a pena quando nos é quase impossível, muito difícil. Desejos de fácil realização não nos energizam. Já nem vou falar do amor.

Imaginemos, no caso de um homem, o sujeito deseja a vizinha lá da esquina, mas... a vizinha não está nem aí para ele. Todavia, várias outras garotas lindas suspiram por ele e por ele passam piscando o olho. Adianta? Não, não adianta. O sujeito quer a vizinha que não o quer... E assim com tudo. Hoje quero trocar de carro, trocar por um melhor mais caro, mas... não posso. Agora imaginemos que você e eu podemos comprar a montadora inteira. Teria graça esse novo carro? Penso que não. A graça da vida está em desejar, nem sempre em realizar... Pobre do Jeff...

Tempos

Vou pedir ajuda a você. Por favor, me explique a manchete que lhe vou repassar, eu a li várias vezes e não a entendi. Estava num site de jornalismo. Diz assim: - “Cantor ... (nome do cara) se casa e noiva revela gravidez”. Entendeste? Nem eu. Como é que a noiva no altar revela gravidez? Não entendi, palavra que não entendi... Ou então, quem sabe, a vergonha morreu? Ah, é isso? Agora faz sentido, a vergonha morreu, agora entendi. De outro modo, como seria possível uma “noiva” grávida... Agora entendi.

Falta dizer

Já esbarraste em muitas portas erradas tentando acertar? Cumprimentos. Quando bateres na porta certa saberás que é a porta certa. Sem o aprendizado dos erros, tentando acertar, é dificílimo acertar. Continue.