Nem todos sabem cair e menos ainda levantar... Frase intrigante? Liguei o computador, fui à procura de notícias, não das notícias convencionais, políticas, violência, essas coisas, fui, como sempre vou, em busca de humanismo. Quando digo humanismo quero dizer fatos, histórias, vivências de pessoas de todo tipo, especialmente daquelas que nos são conhecidas e que por isso nos possam impactar mais... Achei, e nada boa.

A notícia envolve um nome muito conhecido da televisão, dessas tevês de menor audiência, programas da tarde, por aí... Ele é religioso, de uma religião calma, pacífica, sem ranços nem pecados... Não quero dizer o nome da pessoa. É homem, relativamente jovem e hoje muito doente. Doente de uma daquelas doenças que provocam arrepios e batidas na madeira quando se fala dela... Nada de novo. O que me provocou a reação que me traz à esta conversa, leitora, foi o que o “doente” disse sobre a vida...

Falou de erros de conduta, de graves equívocos existenciais, ainda que muito versado sobre os bons princípios de sua religião... Mas é como vivo dizendo, o velho desencontro entre o saber e o fazer, a chamada “dissonância cognitiva”. É mais que certo que o que mais nos falta na vida é boa percepção sobre o que nos cerca e o que melhor se nos pode assentar. Essa moda louca de hoje de buscar o prazer, as realizações ao preço que for, só encurta o caminho das pessoas para os desatinos mentais, às doenças físicas, às degenerações e à morte. Mas vá dizer isso nas esquinas, vá.

Já disse aqui uma miríade de vezes que as pessoas, segundo muitas pesquisas médicas (americanas) só se dão conta de que eram felizes, ou podiam ter sido, quando estão na UTI, conscientes, é claro. Não lhe parece tarde?

- Ah, e tem outra coisa: existe, sim, na condição humana, o certo e o errado. Existe. Muitos, nesta modernidade, querem se forçar a acreditar que nada fazem de errado , fazem sim...

Seja como for, encontrei mais um arrependido. Mas por quanto tempo vai durar esse arrependimento? Talvez até o momento em que recupere a saúde... E mais uma vez, saio me perguntando de que lhe serviu ou serve a religião? – Ah, ele era gordinho e não gostava, agora está que é um palito e... quer voltar a ser gordinho...

Casar

A novela Tempo de Amar é passada no ano de 1929. E na novela, um grupo de jovens que é contra o governo tem um Centro Cultural que edita um jornal. Numa das edições do jornal, a pergunta de capa era: - Por que mulher tem que casar? Fiz essa pergunta numa redação com nove mulheres e todas me disseram que não, que mulher não “tem” que casar, casa se quiser... Bonita a resposta, mas... Não é o que as próprias mulheres dizem das que não casam, são chamadas de titias, solteironas ou encalhadas... Ah, elas.

Falta dizer

Frase que achei “perdida” num livro esotérico: - “Mesmo que tenha bilhões de dólares, isso não fará nenhuma mudança dentro de você”. De fato, o dinheiro não tem o poder de nos fazer viver melhor. Por dentro... Mas engana bem, por fora.