O assunto que vem a seguir é sério, mas vou começar esta conversa com você, leitora, lembrando de um ditado machista que diz que – “Não existe mulher difícil, existe mulher mal cantada”. Esse dizer dos homens pode ser tomado como provocação ou deboche, mas... Bem que pode ser verdade, afinal, há quem diga que não existe ninguém honesto, o que pode existir é que a honestidade resista até que se chegue ao seu preço... E também há quem garanta que “todos nós temos o nosso preço, quem chegar a ele nos leva...”. E esse preço não é necessariamente em dinheiro, temos os nossos “preços” de acordo com o nosso jeito de ser e os nossos valores na vida.

Antes de dizer a que venho, relembro apenas o que já disse aqui inúmeras vezes: todos nos achamos honestos, a questão é passar pelas tentações. Quem passa por grandes tentações e resiste ou é louco ou medroso ou burro ou honesto... A última hipótese é a da honestidade. E não adianta alguém bater o pezinho, são essas as hipóteses. Nossa honestidade costuma ser sobre coisas ou questões que não nos interessam, fora disso, sempre ocorre um piscar de olhos. É por isso que não podemos nos enganar com nossas máscaras do cotidiano, o ser humano nasceu para... (você coloca o que quiser na frase...)

Vim até aqui para falar de uma pesquisa feita recentemente na Suécia e publicada na revista Jama Surgery. Li, pensei, cocei o queixo e não me surpreendi, acho que conheço um pouco o ser humano... A pesquisa diz que os homens que passaram pela cirurgia bariátrica, aquela que acaba com a gordura da barriga, são os que mais se divorciam depois que ficam “magros”. Fazem a cirurgia, olham-se no espelho, veem-se bacanas e... adeus, tia Chica, pedem o divórcio. Será verdade? Eu não duvido de mais nada na vida. Conheço incontáveis histórias de homens que abandonaram suas mulheres depois que elas ficaram gravemente doentes ou duramente atingidas por
um acidente.

Qual é o “preço” dessas pessoas? Estavam no bem-bom enquanto lhes convinha, enquanto lhes era bem-bom... E aos homens fieis, que hoje estão numa aparente boa em ses casamentos, gostaria de vê-los lá do outro lado do mundo sendo cantados pela Miss Mundo, ninguém por perto e ninguém ficaria sabendo, hein, que tal, quem resiste? O ser humano só se conhece diante dela, a “tentação”. Longe dela, nunca.

Verdade

Os artistas sabem que – os que ganham entrada de graça no teatro são os primeiros a vaiar. Não façamos nada de graça, nada. Aulas, palestras, consultas, shows, o que for, de graça nada, para ninguém. O povo só valoriza o que lhe arde no bolso, desconhece gratidão e manda longe o reconhecimento. A professora esquece o aluno que lhe deu a maçã, não esquece o aluno que a mordeu.

Ridículo

Mundo da televisão. Ela é uma senhora, separada, seu novo “namorido” é bem mais jovem e metido... Vivem aparecendo em sites e revistas, mas... em programas que são mais adequados aos jovens e não às “senhoras”. Ou ela não se dá conta ou cai no ridículo de propósito, sem voz para reagir.

Lamentável

Há programas se que ajeitam mais para os jovens e programas que se ajustam para os mais velhos. Fora disso, a pessoa se expõe ao ridículo. Quero ver como vai terminar o “namoro”. Falta dizer Provérbio persa: - “O ladrão que não é castigado por roubar um ovo, roubará um camelo”. Perfeito. Vale para a educação dos filhos, seja qual for a “açãozinha” errada deles, ferro. O bendito ferro da punição/educação.