Faz alguns anos, vi um desenho inesquecível numa revista. Era um gatinho na frente de um espelho. O gatinho se olhava ao espelho e a imagem que aparecia era a de um enorme leão. Coisa linda. O gatinho se via um baita leão, com certeza com todas as bravuras e virtudes assustadiças de um leão... Nunca esqueci.

Relembrei esse desenho do gatinho lendo uma notícia sobre uma jovem, 17 anos, filha de uma dessas vazias que andaram pela televisão. A mãe da jovem não é exemplo para nada e a filha, coitada, lhe segue os passos. Coisa comum e quase impossível de evitar para uma filha.

A jovem, 17 anos, acaba de passar pelo “terceiro” retoque facial, o mais recente foi para arredondar os lábios. Já mexeu nas maçãs do rosto, na testa, aqui e ali, aos 17 anos, uma criança. Qual a razão dessa estupidez, aliás, hoje muito comum? A razão é que ao se olhar no espelho, diferente do gatinho, a jovem se vê uma bruxa. E aí, companheira, não há espelho que dê certo, somos o que nos vemos no espelho. Não quero dizer com isso que devamos nos ver como Afrodite ou Apolo, prepotentes, vaidosos à insânia, não, nada disso. Mas é olhar-se no espelho com simpatia, vendo a formidável beleza de que todos somos capazes, por dentro. E essa beleza ilumina por fora. Quem vive no escuro por dentro, caso dessa jovenzinha e da mãe dela, babaus, os espelhos para elas serão sempre inimigos a lhes mostrar bruxas, ainda que possam ser bonitinhas.

Autoestima é o nome do jogo. E autoestima jamais pode vir das belezas efêmeras, fugidias e enganosas do corpo físico. Beleza não segura amizades e muito menos casamentos, “junções”, como hoje é moda. Nunca. O que alicerça relacionamentos é a beleza dos invisíveis, uma beleza que conquista e cresce com o tempo. As pessoas que sabem disso sabem que o “salão de beleza” da verdadeira beleza é a livraria, as artes, a filosofia, o bem-pensar, as graças da sensibilidade e dos bons modos. Essa beleza é eterna e crescente, essa apaixona e mantém reféns os que a descobrem. A beleza ao alcance de todos.

Ah, e a jovenzinha de hoje, 17 anos, que já vive fazendo retoques na cara (sim, no caso dela é cara), aos 27 estará internada em alguma clínica: “louca”.

Mulheres

Chineses estúpidos – comunistas - durante muito tempo controlaram a natalidade, na verdade controlaram o nascimento de meninas. Agora estão se dando para os diabos e incentivando a procriação, é que sobram homens e faltam mulheres... Meninas eram abortadas ou jogadas fora logo após o nascimento. Desmintam, comunistas, desmintam, se forem capazes!

Frase

A frase estava num canto do livro, dizia assim: - “Os pensamentos podem causar danos, do mesmo modo que as ações”. Acho que o autor da tal frase não pensou. Ações são sempre o resultado de pensamentos, conscientes ou não. Caso contrário, seriam consequências sem antecedentes, isso é impossível. É uma lei física/química. Não existem efeitos sem causas, e nossas causas são sempre nossos pensamentos. Para o bem ou para o mal.

Falta dizer

Coisa bem-feita! As universidades portuguesas passaram a exigir alta qualificação em inglês para admitir brasileiros em estudos ou estágios em suas universidades, as aulas são dadas em inglês para os estrangeiros. Aplausos. Os abobados daqui não sabem nada de Português correto e querem estudar lá fora, vão se enxergar bobocas. Corda no pescoço deles, que aprendam primeiro a falar e escrever em sua língua/mãe, o Português.