Foto Divulgação/Maestro
Foto Divulgação/Maestro

Olá, amigos cervejeiros e amantes da boa cerveja! Após passadas as comemorações de 5 anos da Cervejaria Maestro, abordaremos na coluna de hoje os principais resultados da recente pesquisa conduzida pelo Sebrae com apoio da Abracerva, realizada com Cervejarias Independentes Brasileiras, obtendo 944 respostas, com 744 validadas.

Trata-se de uma pesquisa quantitativa aplicada por meio da web nos períodos de 7 de abril de 2019 e 12 de maio de 2019.

A pesquisa demonstra que a predominância dos respondentes frente às cervejarias independentes, constituem na presença masculina, com idade média de 39 anos e com alto grau de escolaridade, sendo 98% com superior incompleto, superior, mestrado e doutorado.

Demonstra também que a maioria, com 98%, já realizou algum curso de cervejeiro. E o curso mais comum foi sobre tecnologia e produção cervejeira. Já sobre a localização dos negócios, Rio Grande do Sul (20%), São Paulo (18%) e Minas Gerais (13%), são os estados que concentram a maior quantidade de Cervejarias Independentes.

Santa Catarina empata em 4º lugar com Rio de Janeiro com 11%. A maioria dos negócios é jovem, com funcionamento entre 1 e 4 anos de idade.

O quadro societário demonstra que a maioria é dirigida por mais de um responsável. Nota-se que a grande parte das cervejarias possuem 1 ou 2 sócios. E que se consideram uma “microcervejaria artesanal”.

Quanto ao volume de funcionários, em sua maioria, possuem de 1 a 4 funcionários alocados diretamente nas etapas de operação. Em relação aos empregos indiretos, a maioria tem de 1 a 5 empregos indiretos, no entanto, proporção significativa (25%) não tem nenhum emprego indireto.

Sobre o faturamento de 2018, a maioria declarou que ele foi melhor do que a do ano anterior (2017), indicando que esse é um mercado crescente. Em relação a 2019, a maioria (50%) relatou estar “empatado”, já os que estão operando com margem de lucro são 28%, e os outros 22% informaram estar apresentando prejuízo nesse momento.

Embora possa demonstrar, por meio do faturamento, que o mercado esteja estacionado, o consumo de cerveja independente tem aumentado per capita. Ou seja, a economia do país está arrefecida, entretanto é um mercado crescente, principalmente na classe B e C.

Enquanto a economia apresentar melhores indicadores, e o consumo geral aumentar, o mercado da cerveja artesanal apresentará um substancial crescimento.

Em relação à cerveja artesanal, é notório que este mercado vive de festividades, de momentos de congraçamento e alegria. Necessariamente ainda passamos, como país, por momentos de turbulência econômica, política e social, mas que mesmo assim o mercado do artesanal continua bem aquecido.

As perspectivas são que, num futuro próximo, os ajustes sejam finalizados e possamos novamente, como país, sair deste crescimento vegetativo.

Concluindo: se com as dificuldades econômicas o mercado de cerveja artesanal vem crescendo e tomando espaço, imagina onde podemos chegar com a economia do país aquecida.

Para agendar:

De 7 a 17 de novembro, estaremos na Schützenfest 2019, novamente como uma das cervejas artesanais oficiais da festa. Levaremos nossa Pilsen, IPA, Saion, a tradicional Schützenbier, e a sempre esperada Pumpink, feita no melhor estilo americano com abóboras!

Foto Divulgação/Maestro

Se for dirigir não beba! Produto destinado para maiores de 18 anos. Seja consciente!

Maestros Cervejeiros

Fábio Stein, Júlio Silva e Sidnei Ramthun
maestro@cervejamaestro.com.br
www.cervejamaestro.com.br
(47) 3054-4480