Os avanços da tecnologia e novas visões de mundo trazem desafios e profundas mudanças no mundo do trabalho. Estudo do Senai revela o surgimento de 30 ocupações em oito áreas predominantes do setor industrial brasileiro, nos próximos dez anos. “Os processos industriais modernizam os aspectos culturais na sociedade; as novas tecnologias melhoram a produtividade do trabalho, o bem-estar das pessoas e a riqueza das nações”, disse Rafael Lucchesi, diretor geral do Se­nai Nacional, em entrevista na Olipíada do Conhecimento, promoção da Confederação Nacional da Indústria (CNI), em Brasília. As profissões que terão mais destaque atendem deman­das de cada setor (confira no box nesta página). Mas não é só isso: é hora de os pais se preocuparem com o que os filhos estão estudando ou pretendem estudar a curto prazo, porque as projeções que os especialistas de todo o mundo têm são surpreendentes. Por exemplo: 85% das profissões que vão existir em 2030 ainda não foram inventadas, de acordo com pesquisa encomendada pela Dell Technologies para o IFTF (Instituto para o Futuro). Já a New Work Order Fundation for Young Australian – en­tidade que identifica novos trabalhos para jovens na Austrália – garante que mais da metade dos estudantes daque­le país estão atrás de carreiras que se tornarão obsoletas pelos avanços tec­nológicos e de automação dentro de 10 a 15 anos.

 Novas profissões em oito áreas

AUTOMOTIVO

  • Mecânico de veículos híbridos
  • Mecânico especialista em telemetria
  • Programador de unidades de controles eletrônicos
  • Técnico em informática veicular

TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

  • Analista de IoT (internet das coisas)
  • Engenheiro de cibersegurança
  • Analista de segurança e defesa digital
  • Especialista em big data
  • Engenheiro de softwares

ALIMENTOS E BEBIDAS

  • Técnico em impressão de alimentos
  • Especialista em aplicações de TIC para rastreabilidade de alimentos
  • Especialista em aplicações de embalagens para alimentos

MÁQUINAS E FERRAMENTAS

  • Projetista para tecnologias 3D
  • Operador de High Speed Machine
  • Programador de ferramentas CAD/CAM/CAE/CAI
  • Técnico de manutenção em automação

CONSTRUÇÃO CIVIL

  • Integrador de sistema de automação predial
  • Técnico de construção seca
  • Técnico em automação predial
  • Gestor de logística de canteiro de obras
  • Instalador de sistema de automação predial

QUÍMICA E PETROQUÍMICA

  • Técnico em análises químicas com especialização em análises instrumentais automatizadas
  • Técnico especialista no desenvolvimento de produtos poliméricos
  • Técnico especialista em reciclagem de produtos poliméricos

TÊXTIL E VESTUÁRIO

  • Técnico de projetos de produtos de moda
  • Engenheiro em fibras têxteis
  • Designer de tecidos avançados

PETRÓLEO E GÁS

  • Especialista em técnicas de perfuração
  • Especialistas em sismologias e geofísica de poços
  • Especialistas para recuperação avançada de petróleo

 Univali Estágios

A Univali é a vencedora da categoria Instituição de Ensino, no nível superior, do Prêmio IEL Melhores Práticas de Estágio, na etapa estadual. A iniciativa, promovida pelo Instituto Euvaldo Lodi (IEL), reconhece e incentiva a qualidade dos programas de estágio no Brasil, envolvendo empresas, instituições de ensino e estudantes. Entre as iniciati­vas mais relevantes que motivaram a conquista do prêmio estão o fato de a universidade ter uma central de está­gios e um sistema de gerenciamento dos estágios não obrigatórios de uso interno e externo, com o Banco de Talentos.

 Wanke 100 anos

Às vésperas de fazer 100 anos, a Wanke é sinônimo de evolução. A empresa, que começou como uma pequena fábrica, hoje, tem um parque fabril de 60 mil m2, centenas de colaboradores, está presente em todo o Brasil e também no Paraguai e vende mais de meio milhão de lavadoras, centrífugas e secadoras de roupas por ano. A trajetória, que se mistura à história de Indaial, onde a Wanke está instalada, acaba de ser reconhecida pela Associação Empresa­rial do município. A empresa foi uma das homenageadas da 16ª edição do Empresário do Ano, título concedido ao diretor-geral Osmar Luciano Rodrigues.

 Selo artesanal

No mês passado foi aprovada a lei que assegura a comercialização em todo o país de produtos alimentí­cios de origem animal feitos arte­sanalmente. Para isso, foi criado o selo denominado Arte, que ao ser concedido por órgãos de saúde pú­blica em cada estado aos produtores artesanais facilita e amplia as possi­bilidades de comercialização desses produtos no território nacional.

 Para o produtor

Importante para o produtor e o consumidor é que, na prática, a Lei corrige uma distorção da legislação vigente, desburocratiza a inspeção sanitária de produtos artesanais e fomenta o comércio interestadual. A lei padroniza exigências e propor­ciona a necessária transparência à fiscalização de produtos de origem animal, pescados, leite, ovos, mel e cera de abelhas, atestando sua pro­cedência e de seus derivados.

 Modelo europeu

A inclusão do selo Arte depende de regulamentação local do produto artesanal, o que não exclui a inspe­ção ou fiscalização pelas respectivas autoridades sanitárias. É um modelo que deu certo na Europa, especial­mente na Espanha, Portugal, Itália e França. “Os pequenos produtores se fortalecem e os órgãos de fiscalização se mantêm mais próximos, facilitan­do a comercialização de produtos de qualidade, que observam as normas sanitárias”, explica a diretora técnica do Sebrae, Heloisa Menezes.

 Casa própria

A Construtora Sobrosa realizou o so­nho da casa própria para 80 famílias, entregando a última etapa do Resi­dencial Hausgarten, empreendimento de casas sobrepostas no Bairro Nereu Ramos, em Jaraguá do Sul. De acordo com o diretor da construtora, Eduar­do Sobrosa, “executamos um sistema construtivo diferente, no qual o mo­rador tem a comodidade de habitar em uma casa, abrir a porta e ver a rua ou o quintal, mas com a segurança e tranquilidade de um condomínio fechado”, explica. Com essas 80 cha­ves, a Sobrosa completa 544 unidades entregues em Jaraguá do Sul.