Por Nelson Luiz Pereira_conselheiro editorial do OCP

 

Como meio de comunicação atento às causas e demandas da sociedade, a Rede OCP de Comunicação, vem esclarecendo e alertando incessantemente a população, acerca dos efeitos da pandemia do Coronavírus.

A edição de hoje traz, nas páginas 8 e 9, uma relevante e providencial matéria, produzida com o intuito de esclarecer, com detalhes, o novo perfil da população que têm impulsionado a curva de infectados pela Covid-19.

O teor da matéria aponta para uma questão importante a ser observada. A faixa etária relativamente jovem que vem apresentando maior índice de contaminação, também é a faixa que registra menor tendência de complicações por conta da doença. Reside aqui o potencial de contaminação, pois, é essa mesma faixa etária que convive com pais e avós, cujas condições de imunidade e comorbidades são, naturalmente, mais comprometedoras.

Os órgãos de saúde e imprensa têm reiterado que a vida, o trabalho e os negócios podem fluir, desde que cada cidadão faça sua parte, sendo um consciente combatente da Covid-19, cuidando de si e dos outros, evitando aglomerações, obedecendo as regras de distanciamento, higiene e uso da máscara. No entanto, o que se tem observado é uma queda de braço social de negacionistas contra os que reconhecem e querem conduzir a vida e negócios com atitude preventiva.

Este conflito em nada contribui, pelo contrário, potencializa a já crítica situação. É preciso ter consciência de que, embora a taxa de letalidade, em relação a totalidade da população, seja baixa, a taxa de infecção é alta e compromete a estrutura e sistema de saúde, notadamente, pelo significativo aumento de internações, conjugado com elevação do número de profissionais de saúde infectados.

Portanto, a postura de ‘caça às bruxas’, ou de um erro buscar justificar outro, em nada contribuirá para que a presente situação seja revertida. Ademais, não há estrutura que garanta total fiscalização. Cabe a cada cidadão, imbuído de senso de cidadania, fazer a sua parte para o bem coletivo.

 

Telegram Jaraguá do Sul