A opção de materiais melhores e com ótimas características para copiar os dentes naturais estão surgindo mais a cada ano.

Essa evolução se dá não apenas no material das resinas compostas e da porcelana, mas principalmente na técnica de como utilizá-los.

Portanto, a definição da melhor opção apenas será respondida depois de uma série de observações como: idade, desejo do paciente, cor inicial dos dentes, quantidade de restaurações prévias, necessidade do tratamento desejado e custo.

Colocando tudo isso na balança é definido o material a ser indicado. Se a opção for por porcelanas, as vantagens vão de tempo de duração, maior brilho, resistência aumentada, porém, na maior parcela dos casos é necessário algum preparo do dente, por mínimo que seja.

A capacidade da porcelana de mudar radicalmente a cor dos dentes com uma camada muito fina de material é fantástica. Em casos de mudança de cor severa, passa a ser mais indicado fazê-las em porcelana, do que fazer o mesmo em resina composta, que exigiria algum desgaste.

A resina composta tem a vantagem de dispensar qualquer desgaste em alguns casos e, por isso, é bem indicada em pacientes jovens e com boa cor inicial. Ela pode ser retocada mais facilmente em apenas uma consulta em caso de quebra ou pigmentação.

Prefiro não indicar resinas em casos de pacientes com dentes escurecidos ou com muitas tonalidades diferentes, pois seria necessário desgaste para conseguir um resultado ideal.

Assim, é preferível optar por fazer as lentes em porcelana. Cada material possui suas possibilidades e indicações e todos ganham, pois um sorriso espetacular é sempre possível!

Um abraço até a semana que vem!