Quando falamos a expressão “jardim vertical” logo imaginamos uma parede ou uma fachada de um edifício inteiro com plantas, entretanto o jardim vertical pode ser feito de inúmeras formas.

Desde alguns vasos pendurados e jardineiras em uma parede, formando assim uma floreira vertical, ou então em prateleiras presas que servem de apoio para os vasos ou até um jardim independente com plantas dispostas sobre a parede em toda sua extensão.

Nessa última situação o jardim pega toda superfície da parede, e existem sistemas especiais, como por exemplo de moldados em concreto para essa finalidade, prontos para receber a colocação de terra ou argila expandida e as plantas, ou então painéis fixos às paredes também com essa mesma finalidade.

E pode ser criado um sistema de irrigamento interno automático, com bombeamento da água por todo o jardim.

E quando a irrigação não acontece de maneira automática, é importante tomar o cuidado de deixar todas as plantas em locais com fácil acesso, para que todas possam ser regadas manualmente e sem dificuldades.

Independentemente da solução adotada, as paredes verdes trazem sensação de bem-estar aos ambientes, melhorando o conforto térmico e purificando o ar, além do efeito estético.

A grande vantagem é que um jardim vertical não ocupa espaço no chão, e pode ser colocado em qualquer local, sendo uma ótima alternativa para apartamentos e casas com pouco espaço de jardim, sendo preciso garantir às plantas escolhidas a quantidade de iluminação e ventilação necessárias.